Élvio Sousa acusa Miguel Albuquerque de estar a ser “contaminado e subserviente” à República, recuando numa “matéria de interesse específico como são os transportes e a mobilidade”.

“O Primeiro-ministro e o Presidente da coligação PSD/CDS estão comprometidos em adiar o principio da continuidade territorial e contrariar aquilo que tem sido dito como discurso da defesa intransigente da Região, dos madeirenses e dos Portossantenses”.

No entender do líder parlamentar do JPP, esta situação é facilmente verificável quando, em relação ao transporte aéreo, há um compromisso de Miguel Albuquerque em desenvolver, juntamente com a República, “uma vez mais, um grupo de trabalho, quando na verdade estamos a aguardar apenas o orçamento de Estado para a aplicabilidade da Lei, de forma a que os madeirenses e portossantenses paguem apenas o valor da viagem aérea subsidiada”.

Élvio Sousa, considera “ainda mais grave” o facto de ter ficado pouco claro a questão relacionada com a “suposta rescisão do contrato” Ferry e, nesta matéria, novamente, o Presidente do Governo PSD/CDS comprometer-se com “mais um estudo de mercado quando este é já um assunto de conhecimento governativo”.

“Miguel Albuquerque fez um recuo significativo em matéria de do Principio da Continuidade Territorial”, acusa Élvio Sousa. “Não pode nunca o Presidente do Governo Regional defender esse Principio na Região e depois, recuar na República” concluiu o deputado do JPP.

As declarações foram proferidas pelo líder parlamentar do JPP, esta manhã, numa atividade realizada na freguesia do Caniçal, em relação à reunião entre o Primeiro-Ministro, António Costa e o Presidente da coligação PSD/CDS, Miguel Albuquerque, que decorreu esta semana, em Lisboa.

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This