O Juntos pelo Povo (JPP) visitou esta manhã o centro de saúde da Ribeira Brava e considera que deveria estar dotado de mais recursos humanos e materiais. Para benefício da população, pede “uma maior aposta por parte do Governo Regional”.

“Constatamos a necessidade de contratar mais 3 ou 4 médicos, para que se possa prestar um serviço ainda melhor, atendendo a que os médicos estão a trabalhar acima dos seus limites”, sublinhou o deputado Paulo Alves, referindo-se também “à falta de assistentes administrativos, um assunto para o qual o JPP já havia alertado o Governo Regional, atendendo à necessidade de reforçar esta área, porque estes profissionais estão a trabalhar para além dos limites das suas capacidades”.

Os deputados do Juntos pelo Povo constataram ainda a falta de recursos materiais, como equipamentos de diagnóstico. “Por exemplo, esta zona oeste não tem um equipamento de raio x, nem São Vicente, nem Ribeira Brava, nem Calheta e todas as situações têm de ser reencaminhadas para o hospital”, alertou.

O facto de as urgências funcionarem até às 23 horas, obrigando a uma deslocação ao hospital no Funchal, após esse horário, também gera alguma preocupação e tem gerado algumas queixas por parte dos residentes:

– No ano passado cerca de 26 mil utentes recorreram a este centro de saúde, para os serviços entre as 8 e as 23 horas. Se estivesse aberto durante a noite, este número seria maior e as pessoas não teriam de recorrer tanto ao Funchal, até porque neste momento o centro de saúde da Calheta foi deslocado para os Prazeres.

A vinda de lusodescendentes para a Região, muitos para a zona da Ribeira Brava, fez aumentar para cerca de 3 mil o número de utentes que recorrem a uma consulta de recurso. “Vem demonstrar a necessidade de ter mais médicos, para dar uma melhor resposta aos utentes deste centro de saúde”.

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This