A reunião mantida entre o Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, e o primeiro ministro, António Costa, no passado mês de novembro “desvendou um namoro platónico entre o PSD-Madeira e o PS nacional” que “demonstra uma situação de lesa cidadania e de falta de respeito pelas decisões do Parlamento”, referiu Élvio Sousa, em conferência de imprensa, esta manhã, na Assembleia Legislativa da Madeira.

Miguel Albuquerque foi “o porta-voz das negociações entre o Governo Regional PSD/CDS e a República onde aspetos fundamentais para o povo da Madeira e do Porto Santo foram discutidos”, nomeadamente, no que diz respeito ao subsidio de mobilidade aérea.

“Verificou-se o compromisso conjunto de adiar, mais uma vez, a regulamentação no sentido de permitir que os residentes na Região paguem os 86€ de viagem aérea e, os estudantes, 65€”, frisou Élvio Sousa.

No entender do Juntos pelo Povo (JPP), “a criação do grupo de trabalho para a análise de “um direito já consagrado” é a prova deste namoro entre António Costa e Miguel Albuquerque para a aprovação do Orçamento de Estado para 2020, tornando-se o PSD-Madeira “subjugado, agachado” à República “nesta que é uma legítima aspiração e um direito constitucionalmente consagrado dos madeirenses e portossanteses”.

Élvio Sousa lembrou que esta “subserviência” já se arrasta com a ligação marítima Ferry, tal como tinha sido o compromisso assumido.

“Com este “namoro” a população da Madeira fica prejudicada face àquilo que são as funções do Governo Regional na defesa dos interesses do Povo da Madeira e do Porto Santo” concluiu o líder parlamentar do JPP.

Pin It on Pinterest

Share This