O Juntos pelo Povo (JPP) procedeu hoje ao levantamento da documentação solicitada à Frente MarFunchal, no âmbito da fiscalização às contas desta empresa pública, que o deputado municipal, Orlando Fernandes, pediu aquando da aprovação de contas consolidadas do Município do Funchal.

A referida documentação foi solicitada pelo JPP em junho de 2018, através de reuniões quer com o executivo municipal quer com os responsáveis pela empresa, ficando a promessa de entrega, que nunca aconteceu. Os documentos só chegaram agora, depois do JPP recorrer ao Tribunal Administrativo e Fiscal do Funchal e ganhar o caso. Ainda assim, a documentação entregue está incompleta.

“Acabamos de receber a documentação mas ainda faltam documentos, que esperamos receber ainda no dia de hoje, caso contrário vamos recorrer uma vez mais ao tribunal”, informou o deputado Carlos Costa, esta manhã, à saída da sede da Frente MarFunchal.

Refira-se que foram solicitados “balancetes mensais de 2008 a 2018, relatórios únicos de 2008 a 2018 e mapa de evolução dos recursos humanos por categorias de 2008 a 2018”.

“Notamos que, nos balancetes, ocultaram os nomes dos clientes e dos fornecedores e só entregaram o Anexo A dos relatórios únicos, ficando em falta os restantes anexos, nomeadamente os que descrevem os fluxos de entrada e saída de funcionários. Sobre a ocultação verificada nos balancetes iremos pedir parecer aos nossos serviços jurídicos e do facto daremos conhecimento ao Tribunal”, explicou Orlando Fernandes.

No âmbito da fiscalização, recorde-se que o JPP solicitou e viu ser aprovada em Assembleia Municipal uma auditoria externa à Empresa Municipal Frente MarFunchal. “O objetivo principal é determinar as razões do desequilíbrio verificado nas demonstrações de resultados (apresentando prejuízos) e por outro lado determinar se a tão apregoada recuperação da Frente MarFunchal é uma realidade ou uma miragem”, lembrou o deputado municipal do JPP.

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This