Select Page

O JPP lembrou este domingo ao Governo Regional que “o tempo da escravatura do agricultor tem de acabar”, e reiterou, no caso particular dos produtores de uva tinta negra, a urgência em aumentar o preço/quilo, já este ano: “Não podemos admitir que o preço desta uva tão importante para a economia regional seja de apenas 1,05€/kg, quando há 30 anos, veja-se há 30 anos, os produtores recebiam 205 escudos ao Kg. Isto é a demonstração do descalabro desta governação PSD, do desrespeito pela economia familiar do povo, pois continuam sem aumentar, já este ano, o preço para 1,50€, procurando colmatar o custo de vida, o preço da mão-de-obra, dos combustíveis, dos produtos fitofarmacêuticos e guanos.”

O secretário-geral do JPP falava à margem da visita que o partido realizou este domingo ao concelho de Câmara de Lobos para agradecer à população o reforço eleitoral que recebeu a 26 de maio (foi o terceiro partido mais votado) e explicar a solução de governo que tem para a Madeira, uma deslocação na sequência de outras já realizadas aos concelhos da Calheta, Funchal, Machico e Santa Cruz.

Num concelho com forte pendor agrícola, área a que o partido liderado por Élvio Sousa tem dedicado particular atenção, as questões relacionadas com a agricultura e o mundo rural voltaram a ser uma prioridade. “À medida que este governo parece seguro pelo Chega, anda a tratar da sua vidinha, e à margem das dificuldades com que o mundo rural nos confronta todos os dias, com o aumento do custo de vida e dos custos de produção, faz vida de rico, esbanja dinheiro em carros de luxo e em viagens”, sublinhou, para anotar que “a nossa preocupação é chamar a atenção do governo para valorizar o trabalho dos agricultores, que são os verdadeiros obreiros da paisagem”.

Depois de desafiar o executivo de Albuquerque a pagar já este ano 1,5€ pela uva tinta negra, Élvio Sousa classificou de “caloteiro” o governo, por “ainda não ter pago a cana-de-açúcar a 50 cêntimos” e lembrou que se hoje os bananicultores recebem 1€ pela banana, isso só foi possível depois de “anos de luta empreendida pelo JPP”.

O dirigente considera que “o desfasamento entre os preços pagos atualmente aos agricultores e os que eram pagos há 30 anos são a demonstração do falhanço da política agrícola do PSD”.

 

Pin It on Pinterest

Share This