“Hoje, ficámos a saber que, afinal, o PSD e o PS planeiam encetar um «casamento de interesses» na República. Ou seja, pelo que podemos depreender votar em Sérgio Marques (PSD) e em Carlos Pereira (PS) é votar para um casamento de interesses na República, é votar em mais do mesmo, é garantir um bloco central”, referiu Élvio Sousa, candidato do JPP à Assembleia da República, na atividade desta tarde.

Para Élvio Sousa, “é preciso confiar num partido, nascido e criado na Madeira, como o JPP, que não traia os interesses dos madeirenses. Um partido livre e independente, que não coloque os interesses partidários à frente dos interesses das populações. Já está visto que não podemos confiar nos partidos tradicionais”. “Para a República, nem PS, nem PSD. o voto certeiro é no JPP!, realçou.

“O casamento anunciado pelos candidatos do PS e PSD pelo círculo da Madeira mostra a real intenção destes partidos tradicionais, que são mais do mesmo. Mas não podemos esquecer, que durante as ultimas décadas, estes casamentos de interesses partilhados entre o PS e o PSD resultaram no aumento do custo de vida dos madeirenses e porto-santenses.

“Fruto desses casamentos de interesses temos, atualmente, que pagar 600 euros para viajar entre a Madeira e o Continente; temos de pagar mais de 1300 euros para trazer um contentor do continente para cá; graças ao casamento entre PSD e PS, e entre Carlos Pereira e Sérgio Marques, que o IVA da electricidade não baixou à taxa reduzida; foi graças ao casamento na Assembleia de República entre PSD e PS, e entre Carlos Pereira e Sérgio Marques que foi rejeitada a possibilidade das famílias madeirenses pagarem o IMI em cinco prestações, tal como foi proposto pelo JPP”, recordou o candidato.

“Estes casamentos foram, de facto, nocivos para os madeirenses, e após muitos e muitos anos de Autonomia e de PS e PSD na República, continuamos a pagar bem caro para viajar e trazer mercadoria, e bem caro o custo de vida”, concluiu Élvio Sousa

Pin It on Pinterest

Share This