O JPP esteve hoje reunido com a secção de hotelaria e similares, da ACIF, destacando a necessidade de apoiar os empresários como forma de promover a economia local.

Élvio Sousa destacou “a baixa do IVA da restauração enquanto forma de estímulo à economia” lembrando a “aprovação unânime, em 2020, de um projeto de resolução do JPP na Assembleia Legislativa Regional que recomendou ao Governo da República a redução do IVA para a taxa reduzida”.

“Infelizmente, até à data, António Costa fez «ouvidos de mercador»”, lamentou o candidato.

Porém no que se refere ao IVA da restauração, Élvio Sousa lembrou a “evidente contradição entre Miguel Albuquerque e Rui Rio, o que nos leva a pensar que ambos andam desnorteados”, referiu.

“Recordamos que o PSD nacional defende a baixa do IVA da restauração para a taxa reduzida, contudo, o PSD da Madeira, nomeadamente Miguel Albuquerque, parece que não é amigo dos empresários da restauração e considera a baixa do IVA um «barrete» e uma «má solução»”.

Para o JPP, e tal como já foi defendido noutras ocasiões, a descida do IVA da restauração “prevê a dinamização e o fomento da economia regional, permitindo, no caso da restauração, maior saldo de tesouraria às empresas”, no entanto ressalva que “isto não significa que possa haver, automaticamente, baixa nos preços ao consumidor”.

“Mas aqui importa ressalvar o contributo destes empresários que, no período da Troika e do PAEF, confrontados com o aumento do IVA, também não subiram os preços, suportando, maioritariamente, esse encargo”, recordou o cabeça de lista do JPP à Assembleia da República.

“Neste momento relevante para o setor da restauração, e pelo menos para os empresários regionais, importa questionar, sem hesitar, se tanto Sérgio Marques como Carlos Pereira, apoiarão a medida do JPP da redução do IVA da restauração. Digam, claramente, aos empresários regionais se vão apoiar esta medida do JPP?”, questionou Élvio Sousa.

Pin It on Pinterest

Share This