Na próxima semana discute-se na Assembleia Legislativa da Madeira, novas alterações aos estatutos do SESARAM. No entender de Paulo Alves, “embora algumas medidas apresentadas pelo Governo Regional sejam pertinentes, esta será uma proposta despesista, completamente inapropriada para a situação que se vive atualmente”.

Para o deputado do JPP, “num momento em que o presidente do Governo Regional reivindica 300 milhões para a situação de emergência que se vive na RAM, não se compreende como é que vem agora este Governo PSD/CDS propor aumentar de 3 para 5 o número de elementos do conselho de administração do SESARAM, E.P.E.”.

Paulo Alves lembra que esta situação “já aconteceu com a Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM, EPERAM), onde os vogais do conselho de administração também aumentaram de 3 para 5 elementos, além dos tão falados 11 milhões de euros gastos com nomeações”. Esta “nova” proposta que aumenta a despesa do SESARAM, E.P.E “não é positiva, indo no sentido contrário do que o Governo Regional exige aos outros”.

O deputado salientou outro aspeto que não consta da proposta de alteração do Governo Regional e que será apresentada pelo JPP em sede de comissão especializada visto “ser da maior justiça, além de facilitar a comunicação e todo o trabalho desenvolvido, nomeadamente, a integração de um diretor técnico nos órgãos de direção do SESARAM”.

Paulo Alves recordou que esta “é uma reivindicação dos TSDT que contam com cerca de 300 profissionais no SESARAM de 14 profissões diferentes”.

 

Pin It on Pinterest

Share This