Entendo a política e o exercício de um cargo público como uma missão e um constante caminhar no sentido de garantir, a cada passo, aquelas que são as justas e legítimas aspirações de quem nos elegeu.

Mas esta missão não pode ser apenas exercida no âmbito da palavra e da afirmação verbal dos valores que nos orientam, deve também ser coerente no plano prático, exercido em medidas concretas e consubstanciado na melhor e mais justa gestão dos recursos que estão disponíveis.

Vem isto a propósito do Orçamento da Câmara Municipal de Santa Cruz para o próximo ano, o qual dá plena concretização à missão social que sempre nos moveu e que continuará a orientar a nossa ação e as nossas políticas.

Assim, este Orçamento tem os seus alicerces bem assentes no reforço e manutenção das nossas políticas sociais, e no apoio direto às pessoas. Aos pais, na educação dos filhos. Às famílias, na conquista de uma habitação condigna. Aos mais desfavorecidos, na dignidade que merecem. Aos doentes, no acesso ao medicamento.

São, afinal, as pessoas o fim primeiro e último da nossa ação enquanto políticos. Só assim vale a pena abraçar um cargo público. Só assim vale a pena a política e o seu exercício pleno.

Paralelamente, e porque continua também a estar em causa um imperativo de consciência, lançaremos mão de vários investimentos, no âmbito dos quais queremos recuperar um atraso infraestrutural que é histórico em Santa Cruz. Falo concretamente do combate às perdas de água e consequente renovação das redes de distribuição de água, na eficiência energética, na recuperação das nossas estradas, das nossas escolas e de outros equipamentos públicos ou que estão ao serviço da população, como é o caso dos nossos quartéis dos bombeiros.

Destaco, ainda, o investimento que queremos fazer na reabilitação do edifício sede da autarquia e na nossa Casa da Cultura. Afinal, a nossa identidade, orgulho e cultura é também um desses imperativos que deve caminhar, lado a lado, com uma séria aposta no desenvolvimento do nosso concelho, e na ajuda direta à nossa população.

Creio que depois de um longo caminho de recuperação financeira, este Orçamento dá corpo àquele que é o nosso projeto para este concelho, e, pessoalmente, dá razão de ser ao imperativo de consciência que me levou a aceitar funções públicas e um papel ativo na política.

Assim, creio que vale a pena fazer esta caminhada. Vale a pena porque fazer por este concelho, é fazer pelos que aqui vivem e pelo futuro que, todos juntos, queremos para os nossos filhos.

ÉLIA ASCENSÃO
Vereadora da Câmara Municipal de Santa Cruz

*Artigo de opinião publicado no JM / 24-10-2018

Observação:

– A responsabilidade das opiniões emitidas nos artigos de opinião são, única e exclusivamente, dos autores dos mesmos, pois a defesa da pluralidade de ideias e opiniões são a base deste espaço criado no site;
– Os posicionamentos ideológicos e políticos do JPP não se encontram refletidos, necessariamente, nos artigos de opinião contemplados nesse mesmo espaço de opinião.

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This