O Juntos pelo Povo (JPP) considera que o protocolo celebrado, esta semana, entre o Governo Regional da Madeira e o consórcio MAIS (Madeira Air Integrated Solutions), que prevê um apoio de 50 mil euros mensais, sobretudo para fazer face à ligação do avião cargueiro entre a Madeira e Lisboa, deixa algumas interrogações.

“Gostaríamos de enaltecer que estamos do lado dos produtores regionais, apoiamos a produção agrícola e a exportação desses bens, todavia este tipo de apoios financeiros, que atingirão rapidamente os 200 mil euros até ao final do ano, têm levantado um conjuntos de questões, que o JPP pretende ver esclarecidas o mais rapidamente possível, para não esbarrar com situações pouco transparentes, de financiamento indireto, que podem violar as regras da concorrência“, explicou esta manhã o deputado Élvio Sousa, em conferência de imprensa, que decorreu no Aeroporto Internacional da Madeira.

Neste contexto, o JPP pretende obter esclarecimentos relativamente a duas questões essenciais:  “Com base neste protocolo, que tipo de produtos especificamente vão ser apoiados? Porque razão este apoio financeiro de 50 mil euros mensais é revelado, pouco tempo depois de ter sido tornado público, pela própria empresa, que a linha é deficitária?”

Élvio Sousa considera que “esta história do apoio ao avião cargueiro que, curiosamente também faz parte da imagem de um cartaz partidário que por aí anda, está muito mal contada”. Por isso, o JPP deseja saber, para esclarecer os madeirenses e os porto-santenses, “se o Governo está a utilizar o dinheiro dos contribuintes para ajudar os agricultores regionais a escoar os seus produtos ou se está a usar esse dinheiro, sabendo que a linha poderia sair, para manter o boneco no cartaz do PSD?”

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This