O Juntos pelo Povo (JPP) reclama maior transparência na gestão dos apoios da Segurança Social às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), que nos últimos 5 anos, envolveram verbas na ordem dos 20 milhões de euros.

“Por um lado temos um aumento nos apoios e por outro lado, temos cada vez mais casos problemáticos, que têm vindo a público, a nível nacional e regional. De acordo com a comunicação social, há cinco IPSS a ser investigadas, devido a irregularidades, reconhecidas inclusivamente pela própria secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais. É notório que o método de fiscalização utilizado pela Segurança Social não é eficaz”, sublinhou o deputado Paulo Alves, esta manhã, em conferência de imprensa.

O JPP lamenta, por isso, que tenha de lidar com obstáculos no desempenho das suas funções de fiscalização, como aconteceu recentemente em relação à situação da Fundação Aldeia da Paz:

“O Grupo Parlamentar do JPP pretendia ouvir a presidente do Instituto de Segurança Social da Madeira (ISSM), em audição parlamentar, que o PSD chumbou, numa atitude de escudo protetor à ação do Governo e de receio pela transparência e pela verdade dos factos.”

Paulo Alves lembra que, poucos dias após este chumbo, vieram a público várias situações de irregularidades em vários lares da Região e também na Aldeia da Paz.

Após mais um entrave dos deputados do PSD, o JPP vai agora recorrer “a um pedido de documentação ao ISSM, com o objetivo de ver esclarecidas estas situações, no sentido de se obter maior transparência nas ações do Governo e nas instituições que recebem dinheiros públicos para ajudar a população”.

 

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This