O Juntos pelo Povo (JPP) foi esta sexta-feira ao concelho da Calheta lembrar algumas promessas de Miguel Albuquerque, durante a campanha de 2015, que ainda estão por cumprir, nomeadamente no que diz respeito aos centros de saúde.

“O PSD governa seguindo o modelo dos seus antecessores, em que promete, adia e nem sempre faz. é uma forma de governar a pensar nos atos eleitorais, adiando as obras, para que sejam inauguradas em vésperas das eleições em 2019. Ou seja, o que este Governo Regional diz em relação ao Governo da República – relativamente ao início das obras do novo hospital, que estará a ser adiado para 2019 devido às eleições – é exatamente a mesma coisa que está a ser feita na Madeira por este PSD”, denunciou Paulo Alves.

O deputado do JPP lamenta que esta atitude seja penalizadora para os madeirenses. “O Governo Regional não pensa nos benefícios da população e nas necessidades que sofrem com os centros de saúde nestas condições, nem nos profissionais que lá trabalham. Pensa apenas no ato eleitoral que vai acontecer em 2019”, sublinhou.

Junto ao centro de saúde do Arco da Calheta, Paulo Alves lembrou que, em fevereiro de 2015, enquanto candidato a presidente do Governo, Miguel Albuquerque “prometeu obras de beneficiação e de remodelação deste centro de saúde, tal como a construção do novo centro de saúde da Calheta, sublinhando que se fosse eleito daria início ao concurso para a obra, logo após a tomada de posse”.

Passados 3 anos, e entretanto com “anúncio de projetos prontos e financiamentos garantidos, no caso da Calheta, com a comparticipação da Santa Casa da Misericórdia, o que se vê é que não houve obras neste centro de saúde e não houve novo centro de saúde na Calheta”.

                     

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This