A Assembleia Legislativa da Madeira foi palco, durante esta terça-feira, 18 de julho, do debate sobre o Estado da Região, que contou com a presença do presidente do Governo Regional e dos respetivos secretários.

Na intervenção final, o líder parlamentar do Juntos pelo Povo (JPP) considerou que o evento acabou pro estar “mais centrado na República e nos Municípios fora do domínio do PSD, em vez de analisar, por exemplo, o que o Executivo prometeu para a Região, mas ainda não cumpriu”.

Élvio Sousa considerou que Miguel Albuquerque revela “estar desligado da realidade” e deixou alguns dados que exemplificam as dificuldades que a Região atravessa:

– Temos mais de 17 mil desempregados;

– Cidadãos da Madeira e Porto Santo estão a pagar quase 300 euros por dia pelos custos das PPP’s (parcerias público-privadas).

– Este Governo Regional já fez quase 800 nomeações políticas;

– Quanto à dívida da Região, temos mais 120 milhões em relação a 2015;

– Temos problemas sérios na Saúde e este setor deve merecer uma atenção especial da parte do Governo;

– Serviço de transporte de doentes está muito mal e há muito tempo;

– Há falhas nos medicamentos;

– Temos mais de 16 mil utentes em lista de espera para cirurgias;

– Continuamos a ter o parque de estacionamento mais caro do país, num hospital, já com sucessivas promessas adiadas em rever o tarifário. Mesmo com uma intervenção do Governo, para o utente que lá vai utilizar o estacionamento nada mudou.

“Perante este cenário perguntamos pelas melhorias prometidas pelo PSD no serviço regional de Saúde?”, questionou o deputado do JPP.

Élvio Sousa lembrou ainda a acusação do Governo, relativamente a uma alegada falta de propostas e soluções da oposição.

– Ora, como podem chegar propostas da oposição, se a maioria parlamentar do PSD chumba praticamente todas e, em alguns casos, até as copia para assumir a sua autoria. Foi o que aconteceu, por exemplo, com os passes destinados aos estudantes do Ensino Superior, com a uniformização do calendário escolar que a bancada social-democrata chumbou e agora a secretaria da Educação caminha para esta solução, e também com o Gabinete do Emigrante.

Relativamente ao tão propalado subsídio de mobilidade, Élvio Sousa questionou se a solução apresentada pelo Governo permite, na prática, que as famílias paguem viagens mais baratas?

“Já em outubro de 2015, esta bancada apresentou propostas pedindo o reembolso direto e ainda a anulação do teto máximo das tarifas, que é o principal carrasco da subida dos preços. O PSD chumbou. E agora têm o descaramento de empurrar as responsabilidades para o Governo da República?”, finalizou o líder parlamentar do JPP.

Artigos Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This